09/03 - 7ª Formação Afro-Indígena será realizada pela Secretaria de Educação de Bacabal.

7ª Formação Afro-Indígena será realizada pela Secretaria de Educação de Bacabal.

Com realização da Coordenadora Ana Cleyde de Carvalho Nunes e Secretaria de Educação do Município de Bacabal através do secretario professor Carlos Alberto Gusmão; acontecera nos dias 10 e 11 de março na SEMED BACABAL a 7ª Formação Afro-Indígena, que vem destacar os povos indígenas trazendo conhecimento de um povo organizado onde faremos uma correlação entre as etnias. A Educação indígena é primordial, pois esta vem além dos conhecimentos escolares e acadêmicos. Essa educação supera os das grandes cidades em muitos casos. Um exemplo bem claro é o cuidado com a família. Nas grandes cidades você vê crianças abandonadas, idosos sendo maltratados entre outros. Nas comunidades indígenas, nenhuma criança fica órfã, se acaso o pai e mãe morrer de imediato a criança é assumida por alguém da família, sem tramites judiciais. No mesmo caso acontece, por exemplo, quando nossos avôs vãos ficando velhinhos, um dos filhos fica com ele, ou vem um netinho para cuidar.

Durante muito tempo a educação escolar foi privilégio de quem tinha poder e dinheiro. Desde os períodos em que o Brasil era colônia, império, na ditadura e agora na republica, muitos critérios mudaram até então. Hoje temos as escolas públicas que garantem que a educação escolar chegue a todos. Sabemos que um direito de constitucionalmente garantido a todos, e para os indígenas também é constitucional que estes, tentam direito a uma educação escolar diferenciada, pois a realidade dos povos indígenas não se iguala a Educação escolar urbana e rural.

A coordenadora da Educação Afro-Indígena professora Ana Cleyde Nunes esteve visitando aldeias que falam Tupi Guarani conversando com líderes (caciques) das tribos Tabocal, Januária Areão, Novo Planeta, Piçarra Preta, Areinha, Aldeia Nova, localizadas no Alto Pindaré onde existem sete tribos. E ao conversar com as lideranças que não é professor, ele disse que a luta pela educação indígena começou pouco depois dos movimentos de luta pela Terra, segundo ele os professores começaram um movimento com o tema: Que Escola temos? Que escola queremos? Onde foi reconhecida nossa educação diferenciada?

Nesse sentido a Educação Indígena se diferencia pelo aspecto ético, comportamental e pelos princípios familiares. E Educação escolar indígena, que não resume em sala de aula, tem como principio formar os indígenas para a vida profissional e acadêmica.

A Secretaria de Educação tem a honra de executar formações através da Coordenação da Educação Quilombola e Educação de Etnia Racial (Afro-Indigena).


Fonte: SEMED Bacabal