16/07 - João de Elza é condenado por homicídio qualificado.

SÃO LUÍS - João Cutrim de Matos, o João de Elza, foi condenado a 18 anos de prisão por homicídio qualificado pelo assassinato do publicitário Manuel Dias de Oliveira Filho, o Surama, em 12 de agosto de 2001.

A sentença do 1º Tribunal do Júri já foi contestada pelo advogado do réu, que deu entrada no recurso apelatório para o Tribunal. O julgamento foi encerrado por volta das 19h25 desta terça-feira (15).

Entenda o caso

João de Elza nunca confessou a morte de Surama, alegando, inclusive, que não o conhecia e só teria ficado sabendo do crime apenas dois dias depois de ocorrido. O acusado é velho conhecido da polícia, apontado como integrante de quadrilhas especializadas em assaltos a agências bancárias no Maranhão e em outros estados. Ele também é conhecido como pistoleiro de aluguel e responde, além da morte de Surama, por outros quatro homicídios praticados em São Luís e no interior do estado. Por um desses crimes, cometido no município de Cajari, ele foi condenado a seis anos de reclusão, em 1990, em Penalva.

Os outros homicídios ocorreram em 1994, nas proximidades do bar Tom Marrom, no Pingão, Anil; no ano seguinte, no povoado Coqueiro, em São João Batista; e, em 1997, em Viana. O assassinato de Surama, apesar de ocorrido em 2001, o criminoso só foi preso em abril de 2004, em Goiânia, depois de ter sido denunciado por quadrilheiros, seus comparsas.

Diogo Azoubel - Imirante