29/07 - Guilherme: ''jejum de gols não é sinônimo de jogar mal.

BELO HORIZONTE - O gol marcado pelo maranhense Guilherme na vitória do Cruzeiro por 3 a 1 sobre o Fluminense, no último sábado, encerrou um jejum de seis partidas sem gols dos atacantes cruzeirenses. Neste período o técnico Adilson Batista teve problemas com sua dupla de ataque, chegando a escalar seis formações diferentes.

Coincidência ou não, foi com a volta da dupla titular, formada por Guilherme e Weldon, que saiu o gol de um jogador de frente. Weldon esteve fora da equipe devido a uma lesão na panturilha, e Guilherme não atuou em duas partidas por causa de uma amigdalite.

A má fase do ataque da Raposa se refletiu nas arquibancadas. No derrota do Cruzeiro para o Goiás, na última quarta no Mineirão, o xodó da torcida celeste e artilheiro do clube na temporada foi vaiado ao fim do jogo. Guilherme ficou chateado, mas deu a resposta em campo contra o Fluminense.

- Não fazer gol não significava que vinha jogando mal. Estava voltando de uma doença nas duas partidas que joguei mal. Mas é claro que isso não é justificativa - defende-se Guilherme.

Sobre a disputa pela artilharia do Brasileirão com Alex Mineiro, do Palmeiras, e Kléber Pereira, do Santos, que já marcaram dez vezes, o camisa 11 disse não se preocupar.

- Não é meu objetivo. Já fico feliz de ver que ambos estão com mais de 30 anos e eu ainda tenho 19. O importante é correr atrás e ajudar o Cruzeiro a vencer o campeonato - completa o jogador, que já marcou sete vezes no Campeonato Brasileiro.

Globoesporte.com