31/07 - Com grande atuação de Guilherme, Raposa faz 4 a 2 em casa

Deu tudo certo. Jogando no Mineirão, o Cruzeiro derrotou o Náutico por 4 a 2 nesta quarta-feira, no Mineirão, e chegou à liderança do Campeonato Brasileiro. Guilherme (dois), Wagner e Henrique marcaram para os donos da casa. Wellington e Geraldo descontaram.

A equipe mineira chegou aos 30 pontos e aguarda o jogo do Grêmio (29) - nesta quinta, diante do Coritiba, às 20h30m - para saber se continuará no topo, já que o Flamengo, que poderia ir a 31, perdeu para o Palmeiras, também nesta quarta. Já o Timbu permanece no meio da tabela, com 18. Na próxima rodada, a Raposa encara o Fla, fora de casa, enquanto o Timbu recebe o Figueirense.

O Cruzeiro veio de vitória fora de casa sobre o Fluminense. O Náutico foi derrotado em casa pelo Coritiba. As equipes pareciam começar a partida desta quarta com o desempenho destes dois jogos.



Raposa pressiona no início

Com um minuto de jogo, Rômulo carimbou a trave esquerda de Eduardo. Aos 13, já o primeiro gol. Inversão de posição entre Guilherme e Wagner. O atacante recebeu na intermediária e deu passe rasteiro para Wagner, na área. O meia tocou no canto direito.

Três minutos depois, um lance polêmico. Após cruzamento na área do Timbu, Marquinhos Paraná caiu depois de passar por Eduardo Eré, na tentativa de alcançar a bola. O árbitro Carlos Eugênio Simon assinalou pênalti, mesmo com o toque leve com o braço do marcador alvirrubro no volante celeste. Guilherme foi para a cobrança e, com paradinha, marcou. Simon mandou voltar, já que Wagner invadiu. Na segunda tentativa, bola no canto direito, e Cruzeiro 2 a 0 no placar.

O time da casa teve mais uma boa chance na seqüência. Aos 18, Piauí falhou, Guilherme ficou com a bola e rolou para trás. Wagner bateu de primeira, mas mandou à esquerda de Eduardo.

Parecia que o Cruzeiro seria o senhor do jogo. Parecia... O Náutico acordou e equilibrou as ações na primeira etapa. Com 21 minutos, Wellington recebeu na área e bateu cruzado, por baixo das pernas de Espinoza. Fábio desviou para escanteio. Mas na cobrança, o goleiro cruzeirense falhou. Ele dividiu com Wellington no alto, e a bola foi para o fundo da rede, aos 22.

O Náutico voltou a reclamar da arbitragem, desta vez sem razão. Com 32 de jogo, Gilmar cruzou, e Paulo Santos completou para o gol. O meia, no entanto, estava poucos centímetros em posição de impedimento.

Gilmar seguia dando trabalho à zaga mineira. Aos 34, ele passou por Marquinhos Paraná, deu um drible da vaca em Henrique e bateu cruzado. Espinoza travou na hora. O zagueiro cruzeirense desempenhou o mesmo papel no último minuto do primeiro tempo. Gilmar cruzou, e Paulo Santos completou de cabeça. O equatoriano se jogou na frente da bola, salvando a Raposa mais uma vez.

Guilherme fecha o caixão

Na volta do intervalo, pouca ação. Mas no primeiro lance de perigo, aos dez minutos, um belo gol do Cruzeiro. Henrique avançou pela direita, iludiu a marcação de Everaldo e mandou uma bomba no ângulo direito de Eduardo: 3 a 1.

Sem conseguir ficar no campo de ataque, o Timbu pouco ameaçava. O primeiro bom lance do time no segundo tempo só veio aos 19, em chute sem ângulo de Everaldo. Fábio espalmou para escanteio.

Mas o Cruzeiro continuava melhor. Guilherme mandou de cabeça na trave, aos 22, e fez o quarto no minuto seguinte, em mais uma bela jogada. Wagner roubou a bola no campo de defesa e tocou para Marquinhos Paraná avançar. O volante achou Guilherme livre entre os zagueiros. Foi só driblar o goleiro, tocar para o gol e partir para o abraço.

O Timbu reuniu forças para diminuir. Restando dois minutos para o fim do tempo regulamentar, Geraldo cobrou pênalti sofrido por Kuki e marcou o segundo dos pernambucanos.