06/11 - Ministro garante terminal de grãos e duplicação do Itaqui.

O ministro da Secretaria Especial de Portos, Pedro Brito, afirmou, nesta quinta-feira em Fortaleza (CE), que o Porto do Itaqui terá de ser duplicado nos próximos anos para poder atender a demanda a ser gerada com a refinaria premium da Petrobras que está sendo construída em Bacabeira. A refinaria terá capacidade para processar 600 mil barris/dia, o dobro da maior em operação no país atualmente.

Brito também discutiu com o presidente da Emap (Empresa Maranhense de Administração Portuária), Hermes Ferreira, a construção do Terminal de Grãos do Maranhão (Tegram), cujas primeiras licitações devem ser lançadas em até 60 dias. O ministro e dirigentes de portos e Companhias Docas do Norte e Nordeste participam desde ontem na capital cearense de um seminário sobre mostras e tendências de logística do setor.

Em relação à duplicação do Itaqui, Brito disse não saber precisar quanto o estado brasileiro terá de investir nas obras. Ele defendeu que a iniciativa privada participe do processo. “Teremos de construir um novo porto apenas para atender a Petrobras. Estamos pensando numa licitação com participação da iniciativa privada. Isso foge à capacidade de investimento do Governo Federal e do Maranhão. A iniciativa privada tem disposição, tem interesse, e é nesse sentido que vamos caminhar”, afirmou ele.

A Petrobras precisará de oito berços para atracamento de seus navios - sete para graneis líquidos e um para sólidos. Hoje o Itaqui tem apenas seis berços, sendo mais dois em fase de construção.

A Emap já assinou protocolo de intenção com a petrolífera no sentido de atender suas necessidades. O Itaqui recebe mensalmente cerca de 70 navios. Com a refinaria serão 110/120. Hoje o porto tem entre 60% e 70% de sua movimentação feita por petróleo e seus derivados. “Com a refinaria o Itaqui se transformará no mais importante terminal de movimentação de petróleo e derivados do país”, garante Hermes.

Tegram

Em relação ao Tegram, o ministro disse que a licitação para a construção de quatro armazéns será lançada “imediatamente” - ou seja, em até 60 dias. Numa segunda etapa entrarão as esteiras e carregadeiras. O preço do investimento é de aproximadamente R$ 300 milhões. “O importante é que a decisão está tomada. Com essas obras o Porto do Itaqui se transformará também num dos maiores exportadores de grãos do Brasil”, declarou Brito.

Além desses oito novos berços, o porto necessitará de mais dois para atender a demanda da fábrica da Suzano, em Imperatriz.

Todos esses fatos estão fazendo do Itaqui a grande “estrela” do seminário. o próprio ministro abriu seu discurso falando das excelentes perspectivas para o porto maranhense. A imprensa local tem dado grande destaque ao Itaqui. O presidente da Emap tem sido um dos dirigentes mais procurados pelos jornalistas locais e de outros estados.

Leia mais no Blog de Décio Sá.