16/11 - Operadora Claro desmonta torre sem explicação.

A operadora Claro, que tinha a expectativa que em doze meses teria a maior cobertura de telefonia celular no Maranhão, começou a desmontar algumas torres em menos de seis meses. Em alguns municípios, onde foram erguidas as torres, o sinal da Claro nunca foi implantado e agora suas torres começam a ser desmontadas. Assim como chegou, a operadora está saindo. Sem nenhuma explicação à população. Foi assim que aconteceu em Paraibano. Os moradores buscam informações, mas as respostas são evasivas. A reportagem foi em busca dessas informações junto aos operários que desmontaram a torre, mas obteve do técnico João, responsável pelo serviço, a explicação de que eles não sabiam o motivo e apenas cumpriam o que foi determinado pela empresa contratada pela Claro. A reportagem tentou entrar em contato via e-mail com a operadora Claro, mas o site não tem como postar comentários, a não ser que o internauta se cadastre, o que pode demorar muito para informações no mundo atual.

Já a operadora TIM montou e implantou seus serviços em maio de 2009 (uma semana após a torre da Claro). A reportagem conversou por telefone com Marli Costa (gerente da loja TIM no município) e ela informou que em Paraibano existe uma média de 2 mil celulares, mas que a procura continua em expansão pelos serviços da operadora. O serviço não é dos melhores, a comunicação fica truncada e o alcance é limitado apenas no perímetro urbano, mas a gerente disse que a operadora tem planos para região que engloba 17 municípios com uma população de mais de cem mil habitantes.

Em relação a Claro, muitos moradores continuam sem entender as atitudes da operadora e se sentiram chateados, pela falta de respeito da operadora em não dar nenhuma satisfação.

O radialista Erinaldo Brito disse que estava esperando o sinal da Claro para poder comprar seu celular, mas que sentiu-se decepcionado com a atitude da operadora e um desrespeito com os futuros consumidores. Erinaldo lembra que a Claro foi quem primeiro montou a torre na cidade e isso despertou orgulho nos moradores que sentiram que o município entrava no mundo da tecnologia, mas o que antes parecia um orgulho, agora se tornou um misto de dúvidas e decepção. Segundo ele, seria melhor que a operadora não tivesse despertado tanta expectativa na população “Isso é anti-ético” frisou Erinaldo :- “A Claro deve pelo menos uma nota de esclarecimento aos moradores de Paraibano” completou o radialista. Outros moradores reclamaram da falta de consideração e sentiram que o município foi invadido, usado e menosprezado pela operadora, e que a Claro precisa ser mais clara nas suas ações, quando chega a esses municípios. A população ainda aguarda uma esclarecimento e até mesmo um pedido de desculpa por parte da Claro.

Léo Lasan

Paraibano-MA