29/01 - Depois do susto, Lula fará novos exames no sábado, afirmam médicos.

SÃO PAULO - Médicos que cuidam da saúde do presidente Luiz Inácio Lula da Silva disseram que novos exames para avaliar suas condições serão realizados neste sábado (30), no Instituto do Coração, em São Paulo.

O presidente descansa em sua residência em São Bernardo do Campo, no ABC paulista, após ter tido uma crise de hipertensão na noite desta quarta-feira.

O cardiologista Roberto Kalil Filho, médico particular do presidente Luiz Inácio Lula da Silva há mais de 20 anos, afirmou que Lula nunca tinha tido problemas de hipertensão.

"O presidente é uma pessoa saudavel. Como vocês sabem, faz avaliação clínica regularmente. A chamada crise hipertensiva é a primeira vez", disse.

Lula teve uma crise de hipertensão na noite de quarta (27). Por conta do episódio, ele cancelou a ida ao Fórum Econômico, em Davos, na Suíça.

O presidente foi atendido num hospital no em Recife e, no final da manhã, desembarcou em São Paulo. No início da noite, a assessoria do Palácio do Planalto informou que Lula descansou durante o dia, se encontra bem-humorado e apresenta pressão normal.

Durante a inauguração de uma obra na quarta (27), Lula deu sinais de que não se sentia bem. "Eu vou ser muito breve porque estou com a garganta não muito boa e não quero ser o primeiro paciente dessa UPA aqui", disse, ao inaugurar uma unidade de pronto-atendimento em Pernambuco.

Lula já sentia os efeitos de uma sinusite crônica, uma inflamação nos seios da face. À noite, no Recife, o presidente participou de uma homenagem aos judeus mortos ho Holocausto. E foi jantar com o governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB) no Palácio do Governo. Lula, que continuava indisposto, não comeu.

Pouco depois das 23h, já dentro do avião que o levaria para Davos, na Suíça, para participar do Fórum Econômico, a indisposição piorou.

O médico da comitiva diagnosticou uma crise hipertensiva. A pressão do presidente estava alta, em 18 por 12. Mesmo assim, foi difícil convencer Lula a ir a um hospital.

"Eu tirei o presidente do avião e achei que ele não deveria viajar. Foi por ordem médica que ele não viajou. Ele, inclusive, até o último momento relutou: 'não, vamos viajar'. Mas eu falei 'não presidente, vamos pra casa'", contou o médico Cléber Ferreira.

Apesar de o presidente ter voltado de férias há pouco mais de duas semanas, o cansaço foi apontado como a principal causa da indisposição. É que o presidente retomou o trabalho num ritmo muito forte. A orientação dos médicos é que, nos próximos dias, ele faça uma avaliação médica.