21/12 - Tecnico de som Evandro é assinado a tiros no pátio de sua loja.

Um assassinato ocorrido no final da manhã de ontem, em pleno centro da cidade de Bacabal, deixou as testemunhas transtornadas. O técnico em som automotivo Evandro da Silva Gomes, foi morto com quatro tiros nas costas após tentar fugir de dois motoqueiros que o perseguiam. Depois dos disparos os acusados fugiram sem ser reconhecidos, foram perseguidos por uma viatura da Polícia Militar, trocaram tiros com os militares, mas conseguiram escapar.

Brigas, suicídio da mulher e vingança - Para a polícia judiciária, que ontem mesmo instaurou inquérito com vistas a apurar as causas do homicídio, tudo indica tratar-se de um ‘crime de encomenda/pistolagem’. Os primeiros levantamentos, efetuados pelo Serviço de Inteligência da PM, no entanto, podem até apontar suspeitos, “levando-se em conta as ameaças sofridas por Gomes nos últimos sete meses”, declarou o major Edeilson Carvalho, comandante da CIPM/Bacabal. De acordo com o histórico policial, Gomes teria se envolvido com outra pessoa, sua mulher descobriu, começaram as brigas, discussões por qualquer motivo e, a separação do casal teria sido inevitável.

Há cerca de sete meses, porém, a esposa do técnico em eletrônica teria recorrido ao suicídio por envenenamento, mas a família dela, que é do município de Marajá do Sena, passou a acusar Gomes de ser o responsável pela morte da mulher. Depois que o corpo da esposa foi liberado pela polícia, Gomes o transladou para Marajá do Sena, mas antes de chegar ao destino foi advertido para não entrar na cidade, porque seria morto pelos parentes da esposa dele. Ele, então, mandou o carro prosseguir viagem e regressou para Bacabal. A partir de então Gomes vivia recebendo ameaças de morte, sendo obrigado a andar com bastante precaução, se escondendo pelas ruas e até no trabalho, onde foi localizado e ‘executado’ pelos pistoleiros.

Vítima ainda tentou correr - Segundo testemunhas os pistoleiros da moto estavam determinados, “pois quando se aproximaram do rapaz e ele saiu correndo pela rua, os motoqueiros o perseguiram e o alvejaram com quatro tiros, pelas costas, deixando-o no chão, onde teve morte instantânea”, declarou uma senhora que assistiu todo o desenrolar na cena do crime. Logo em seguida a dupla empreendeu fuga, ainda foi perseguida pela PM, trocou tiros com os militares, mas conseguiu escapar por caminhos e trilhas onde a viatura não tinha condições de trafegar. O delegado Regional de Bacabal, com apoio da PM e de posse das pistas e indícios disponíveis de prováveis acusados, espera esclarecer o assassinato em pouco tempo.

Fonte: www.jornalpequeno.com.br