08/09 - São Luís comemora 400 anos com Virada Cultural.

SÃO LUÍS - Milhares de pessoas lotaram a Praça Maria Aragão para prestigiar a Virada Cultural, que contou com uma programação digna do quarto centenário de São Luís. que culminou com o espetáculo acrobático da companhia francesa Les Passagers, além de shows de talentos locais, bandas e grupos folclóricos, apresentações teatrais e de dança.

O cantor e compositor maranhense Alysson Ribeiro deu o pontapé inicial da festa, que começou às 20h. Logo após, subiu ao palco a banda Metrópole, tocando uma variedade de estilos que empolgaram bastante o público, que se mexiam e dançavam ao som do ritmo contagiante do grupo. Não deixando ninguém desanimar, a banda de forró Puxa o Fole deu continuidade à festa.

No intervalo das atrações, aconteceu o “Momento Poético”, em que atores interpretaram fragmentos de obras e poesias de escritores maranhenses. O poema Canção do Exílio, do maranhense Gonçalves Dias, fez o público se emocionar com cada verso declamado de um dos mais conhecidos poemas da língua portuguesa no Brasil. A mescla de nostalgia e nacionalismo passada pelo escritor foi revivida por cada um presente na praça.

Para contar a história da fundação de São Luís desde a chegada dos franceses até sua expulsão pelos portugueses, foi apresentado, em um telão montado na Praça Maria Aragão, o curta-metragem "Upaon-Açu, Saint Louis, São Luís", de Joaquim Haickel e Iramir Araújo. De maneira bem didática, em forma de animação, foram dez minutos de pura história, de uma forma nunca contada antes. A narração do filme foi realizada pelo ator e dublador Isaac Bardavid.

Ponto alto

O ponto alto da festa foi o espetáculo acrobático “Sonhos de Daniel de La Touche”, produzido pela companhia francesa Les Passagers, especialmente para a ocasião.

O espetáculo, que conjuga uma mistura de dança e acrobacia, mostrou a história da fundação da cidade, a chegada na ilha de Upaon-Açu, as lutas, suas belezas naturais e os casarões. A linguagem corporal, através da representação teatral, projeções de imagens e música levaram os presentes ao delírio. Chamou a atenção de todos os bailarinos descendo de cima através de cordas, numa sincronização de movimentos e imagens mostradas na tela.

A apresentação foi composta de 40 bailarinos e grupos locais e mais 12 acrobatas franceses, que se apresentaram em um palco de 16 metros de altura e 30 metros de comprimento. Cada parte do espetáculo trazia um olhar sobre a cidade de São Luís, como as batalhas pela conquista da cidade, a cidade contemporânea, o terrismo e o mar e a futura cidade a ser faita. Cada parte tinha um figurino diferente, uma trilha diferente e imagens projetadas de acordo com a capital maranhense em um tempo passado e olhar de seu futuro imaginado. Muitos efeitos, luz e técnica impressionaram a cada um dos que acompanhavam a apresentação, uma das mais belas que já passaram pela praça Maria Aragão.

* Com informações Secretaria Municipal de Comunicação.