16/01 - Xerife, Lúcio começa a se impor no São Paulo.

Tomada a titularidade de Rafael Toloi já no primeiro treinamento tático da pré-temporada, Lúcio vai aos poucos justificando o apelido de xerife recebido em dezembro, quando contratado. Além de crescer frente aos atacantes reservas, o beque de 34 anos já se sente à vontade para orientar os colegas.

Na terça-feira pela manhã, em atividade de 20 minutos comandada pelo técnico Ney Franco, ele é quem, com gritos, norteava os jogadores do meio-campo para frente. Uma autoridade que, por sua experiência internacional, é aceita com naturalidade pelo restante do time.

"Afora sua qualidade técnica, a gente ganha mais um líder", disse o técnico Ney Franco. "Essa liderança pode ser exercida dentro ou fora de campo, no dia a dia, sem a braçadeira de capitão. É um atleta com currículo vitorioso, muitos títulos, que já disputou Copa do Mundo".

Toloi, 12 anos mais novo do que Lúcio, não tem esse perfil, embora seja muito respeitado pelo grupo e elogiado pela diretoria. Dentre os 11 titulares, quem mais se assemelha a Lúcio é Rogério Ceni, que, não por acaso, é o capitão. A vantagem do zagueiro é que, ao contrário do goleiro, pode estar em vários regiões do campo.

"Ele enxerga bem o jogo, entende muito da parte tática. Essa comunicação pode me auxiliar muito no jogo. O São Paulo, mais uma vez, acertou na contratação. Ele vem exercendo bem essa liderança. A gente vê que os atletas em volta têm um respeito natural por ele", opina Ney Franco.

A estreia oficial do xerife com a camisa tricolor será no sábado, contra o Mirassol, no Morumbi, em partida do Campeonato Paulista. Antes disso, ele faz na manhã desta quarta-feira um último jogo-treino no CT de Cotia, frente ao Red Bull, da segunda divisão estadual.