16/01 - O sonho dela era a lipo', diz amiga de manicure que teve morte cerebral.

“O sonho dela era fazer a lipoaspiração. Ela estava com a autoestima baixa porque tinha engordado após ter o segundo filho", afirma a amiga da manicure de 24 anos que tevemorte cerebral constatada nesta segunda-feira (14), em São Carlos (SP), após uma parada cardíaca durante a cirurgia. O procedimento foi realizado em Descalvado no dia 7 de janeiro e, com as complicações, Nayara Cristina Patracão foi transferida para a Casa de Saúde de São Carlos, onde permanece internada e respira com a ajuda de aparelhos. O Conselho Regional de Medicina (CRM) abriu nesta terça-feira (15) um processo administrativo para investigar o caso.

Em entrevista por telefone ao G1, a enfermeira Débora Pivesso disse que Nayara começou a pensar na cirurgia devido à sua insatisfação com o excesso de gordura no corpo. "Ela queria comprar roupas, mas nada ficava muito bom e isso a deixava um pouco triste. Como eu já tinha feito [a cirurgia] no ano retrasado, ela perguntava se tinha sido tudo bem. Ela viu que eu tive uma recuperação rápida, então decidiu fazer”, afirma Débora, que  recomendou o procedimento no abdômen com o cirurgião plástico Vicente de Paula Ciarrochi Júnior.

Débora, que é amiga de Nayara há seis anos, diz que a cidade ainda está chocada com o que aconteceu, já que a manicure era bem conhecida. “Extrovertida, animada, amiga. Muito boa, sempre dava muita força para a gente”, destaca.

Medo
Dois dias antes da cirurgia, Débora diz que falou com a amiga e percebeu que ela estava empolgada. “Estava com um pouquinho de medo, mas estava querendo muito. Ela não tinha medo da cirurgia, mas de ser entubada e de receber a anestesia geral. Já tinha combinado que eu ia ficar no hospital, depois ajudá-la em casa no banho e atividades do dia a dia”, conta.

A manicure Nayara Patracão teve parada cardíaca durante lipoaspiração em Descalvado (Foto: Arquivo Pessoal)A manicure Nayara Patracão teve parada cardíaca
durante lipoaspiração (Foto: Arquivo Pessoal)

Débora ainda disse que não imagina o que pode ter acontecido durante a lipoaspiração, já que o médico é experiente e ela não teve nenhum problema quando passou pelo mesmo procedimento. “Todo mundo está com essa dúvida. Ela era muito saudável, nunca teve problema de saúde”, destaca.

Abalada com a notícia da morte cerebral, a amiga afirma que, assim como a família, ainda tem esperanças de que algo possa acontecer. “Eu falei com a mãe dela. Ninguém espera que vai acontecer isso com o filho. Eles ainda têm esperança , assim como eu. Tenho rezado por ela”. Procurada pelo G1, a família da jovem não quis falar sobre o assunto.

Investigação
O Conselho Regional de Medicina (CRM) abriu um processo administrativo para apurar o caso da manicure. Segundo a assessoria de imprensa, o objetivo é averiguar possíveis infrações éticas.

Caso seja considerado culpado, o médico, que tem situação regular há 20 anos, pode receber desde uma advertência até a cassação do registro no CRM. A sindicância pode levar de seis meses até dois anos para ser concluída.A cirurgiaO cirurgião Vicente de Paula Ciarrochi Júnior não quis dar entrevista, mas disse não ter sido informado sobre o processo e que acredita em uma fatalidade, já que a cirurgia ocorreu normalmente e não tem um diagnóstico que justifique a parada cardíaca.

Segundo Ciarrochi, Nayara teve um mal súbito no final do procedimento no dia 7 de janeiro, na Santa Casa de Descalvado. Ele disse que a equipe médica chegou a reverter a parada cardíaca e encaminhá-la para a Casa de Saúde de São Carlos, para que ela pudesse ter uma melhor assistência.

A princípio, o médico desconfiou de uma embolia pulmonar, o que não foi identificado pelos exames no hospital. Ele afirma que vai aguardar o laudo sobre o caso.

Segundo a família, antes da cirurgia, Nayara fez todos os exames e foi informada que não tinha restrições para a lipoaspiração. Ela já tinha feito duas cesáreas para dar à luz dois filhos, um de quatro anos e outro de oito meses.