26/01 - Acontece hoje a 8ª edição do Festival Maranhense de Música Carnavalesca.

Acontece hoje a 8ª edição do Festival Maranhense de Música Carnavalesca, com 12 finalistas e animação da Mákina du Tempo e Manobloco. Foram mais de 160 concorrentes, sendo que apenas 12 foram selecionados para a grande final. As músicas finalistas foram registradas em CD, que está à venda na portaria do jornal O Estado (av. Ana Jansen, 200, São Francisco), ao preço de R$ 5,00 (para assinantes) e R$ 6,00 (para não assinantes).

Serão R$ 7.500 mil em prêmios. O primeiro lugar receberá R$ 4 mil; o segundo levará R$ 2.500,00 e o melhor intérprete, R$ 1 mil. Os concorrentes serão julgados por uma comissão formada por 11 pessoas, sendo cinco ligadas à área musical e as demais escolhidas entre o público.

Serviço

O quê: 8° Festival Maranhense de Música Carnavalesca, com participação da banda

Mákina du Tempo e Manobloco, com Mano Borges e Nathália Ferro

Onde: Convento das Mercês (Desterro)

Quando: Hoje, às 20h

Entrada franca

Para cantar e ficar na torcida

DOIS CARNAVAIS

Autor: Carol Cunha e Wanda Cunha
Intérprete: Carol e Ana Tereza

Te vi no marafolia
E me apaixonei.
Foi o bicho!...
Tanto terra, tanto nana banana!...
E eu me apaixonei.

Comprei meu abadá pra dar
Meu coração pra ti
Mas foram só três dias de folia
E eu te perdi.

Agora é carnaval.
E eu te conheço, carnaval,
Eu te conheço

E tu precisas conhecer a solidão
Ela é baixinha como eu,
É magra e é triste.

Ninguém resiste
À melancolia, com o abadá da alegria.

Sai, sai, sai, sai, sai
Sai do cordão da multidão

Vem, vem, vem, vem, vem,
No meu pescoço, ser o cordão.

Tu és, em carne e osso,
A saudade que dói em mim.
E eu sou, em pele e osso, carnaval,
A solidão sem ti

E tu precisas conhecer a solidão....

Sai, sai, sai, sai, sai
Sai do cordão da multidão

Vem, vem, vem, vem, vem,
No meu pescoço, ser o cordão.


ADOLFO

Autor: Antônio Araújo
Intérprete: Tony Soubler

Adolfo é convencido
E metido a gostosão
Adolfo deu em cima
Da mulher do seu joão

Adolfo é perigoso
Cheio de picardia
Adolfo deu em cima
Da mulher do zé maria

Adolfo deu adolfo deu
Adolfo deu
À toda mulherada
Adolfo deu, adolfo deu
Adolfo deu presente
Mas pegou muita porrada

Adolfo deu em cima
Dá mulher do seu Melônio
Adolfo deu um beijo
Na mulher do seu Antônio

Adolfo deu um dia
Guarida pra Margarida
Adolfo deu também
À Maria Aparecida


JEITO MESTIÇO

Autor: Albert Abrantes
Intérprete: Vamu di Samba

Eu quero só beber
Desse teu vinho cabernet
Na taça transparente de ilusão
Que essa banheira se esfume
Sentindo o perfume
Que vem de você
Incenso com cheiro de sândalo
Que belo escândalo
Querer por querer
Me deixa então provar
Do teu queijo fino
Do teu caviar
Pisar no tapete vermelho
Do teu coração
Poder te levar ao cinema
Montar um esquema
Pra te conquistar
Te dar um anel de brilhante
Tornar-me galante
Pra te conquistar

É que meu jeito mestiço
Procurar por isso
Revira teu lixo e separa
Tim tim por tim tim
Buscando em vão a paixão
Que procuro e enfim
A imensa utopia
A verdade que fugiu de mim


OS ESCRACHADOS

Autor: Ivandro Coêlho
Intérprete: Ivandro Coêlho

Nós somos os escrachados
Sem eira nem beira
Rolando na ribanceira
No meio do temporal
Sem rumo, sem teto
Sem chão, sem bandeira
No oco da bagaceira
No tempo do carnaval
Nós somos o cordão do povo
Invadindo a cidade
Voando na fantasia
Trazendo a alegria de novo
Na rua, no clube, na praça
No corredor da folia
Eu vou no passo
Na subida da ladeira
Na batida do tambor
A banda já deu sinal
Sou do bagaço
Sou da bagaceira
Sou da raça brasileira
Sou o rei do carnaval (refrão)


UM DIA PRA SE ESQUECER

Autor: Manu Lopes
Intérprete: Hiudson Cassio

Distante, teus olhos diziam da minha tristeza
O meu coração conquistou a certeza
De que esse esforço de nada valeu
Carrego a vontade de ir, de sumir por uns tempos
A minha passagem é a dor dos momentos
Que a minha bagagem lacrou e esqueceu

Nas noites da cidade nua ando pela rua
E a lembrança tua me faz reviver
O amor que se perdeu de um jeito
E teve como efeito, tudo que não dar prazer

Mas vou procurar
Pra sobreviver
A lembrança torta de um dia
Um dia pra se esquecer.


GAROTA

Autor: Neres Santos
Intérprete: Neres Santos

Garota você ta na pinga
Deixa minha pinga
Não pinga não
Que eu quero entrar na folia
Vou beber a pinga
No garrafão
Não dou a minha pinga a toa

A minha pinga é boa
Ninguém enjoa
Eu pingo aqui
Eu pingo aonde eu quiser
Vou procurar
Uma cinderela
Que eu quero dar
Pinga para ela
Pinga para ela.


DEVO NÃO NEGO

Autor: Daffé
Intérprete: Daffé

Meu nome ta no SPC
Com 5 anos ele vai sair
Fiado só com o nome limpo e nacional
Enquanto isso vou brincar meu carnaval

Eu não quero nem saber
Com o nome sujo
Levo a vida na banguela
Meu telefone é que não para de tocar
São minhas gatas Liliane e Gabriela

Devo não nego
Pago quando puder
Compro fiado
Até casa pegando fogo.


PRA ECONOMIZAR O CACHORRO

Autor: Zé Lopes
Intérprete: Samy do Cavaco

Dos males o maior, ando quebrado
Ando comprando fiado
Não sabendo como vou pagar
Se ela pedir e eu não tiver
Não tem jeito é o maior espôrro
Tô latindo no quintal
Pra economizar o cachorro

Só usa jeans americano
Todo fim de ano ela quer viajar
Só entra em boutique grã-fina
Bebida só fina pra ela tomar
Do jeito que a coisa vai
Não agüento mais...socorro

Tô latindo no quintal
Pra economizar o cachorro

Ele diz que o meu samba
É coisa de preto comum
Só fala em casaco de pele
E de uma passagem que quer pra Cancum
E eu que não tenho dinheiro
Só sou partideiro...eu morro....

Só quer saber de elite e coluna social
E eu como ando enforcado
Não tenho um trocado
Nem para o jornal
E ela não tá nem aí
Só eu sei o quanto eu corro...

Se quero ela diz que não pode
Detesta pagode e não sobe no morro....

No banho ela me atrapalha
Não traz a toalha ali mesmo eu escorro...

Chego querendo um colchão
Só me resta o chão sem direito a um forro...

Tento assistir o jornal
Ela muda o canal e coloca no zorro


FOLIA NA ILHA

Autor: Ricardo Sandoval
Intérprete: Baíco

Explode a folia na ilha
Que a confraria chegou
Eu quero ver toda galera (bis)
Pulando na ilha do amor.ô ô ô

Venha pra cá
No swing da percussão
Venha pra cá
Escute o pancadão (bis)
Venha pra cá
E bata na palma da mão
Explode galera do maranhão

A confraria chegou, chegou
E te contagiou
Eu quero ver toda galera
Pulando na ilha do amor


FULEIRO DE CORAÇÃO

Autor: Ronald Pinheiro
Intérprete: Sérgio Panichi

Eu sou fuleiro
E quem não é (bis)
Fuleiro, fuleiro, fuleira

I

Na fuleragem
Não tem frescura
Carnaval de rua
Brinca quem quiser
O bicho tá solto
Na praça
Mulher de homem
E homem de mulher

II

Hoje eu vou sair
Na fuleragem
Prá brincar comigo
Levo o meu amor
Eu vou...

Traz a maisena
Alegria e calor
Um carnaval de paz
Na ilha do amor

III

Não vou parar
Não vou parar bis)
Mesmo quando
O carnaval passar

IV

Me leva contigo prá rua
Eu vou vestido
De fofão
Quero só alegria
Eu sou fuleiro
Fuleiro de coração

V

Eu sou fuleiro
E quem não é
Fuleiro, fuleiro, fuleira


MARCHINHA DO GARÇOM

Autor: Zeca Costa e João Azevedo
Intérprete: Augusto Coelho

Pra mim não existe marca
Bebo todas que pintar (bis)
Hoje eu tô com a macaca
Eu quero é deitar e rolar

Oh, garçon, onde tá tu?
Oh, garçon, onde tu tá? (bis)
Abre mais uma cerveja
Que eu quero tomar

Eu bebo, eu bebo, eu bebo
Pode falar quem quiser (bis)
O importante na folia
É cerveja e mulher


O CHATO

Autor: Wellington Reis
Intérprete: Wellington Reis

Lá vem o chato
Olha o chato
Cri-cri....
Chato pra cacete

Chateia um
Pentelha dois
Amola três
Todo chato tem freguês
É chiclete no sapato
Gruda no couro como carrapato

Olha o piolho-das-virilhas
Quem é o mais chato nessa ilha
Em todo lugar tem um “mala”
Pra encher teu saco, meu irmão.

Imirante e Jornal O Estado do Maranhão