Terça, 01 Dezembro 2020
Portuguese English Spanish
booked.net
Vilmar Locatelli

Vilmar Locatelli

Quarta, 02 Setembro 2020 11:39

Soneto do caminho

Soneto do caminho

 

 

Por mais que a dor insista

Por mais que a distância exista

Por mais que alguém desista

Por mais que o coração resista

 

Não esqueça quão lindo é sonhar

Não esqueça quão belo é amar

Não esqueça que humano é perdoar

Não esqueça que faz parte chorar

 

Hoje ainda é tempo de viver

O dia continua a amanhecer

A paz convida o riso acontecer

 

Ouvi os teus passos seguir

Ficou um perfume a sentir

Me chame com você eu vou ir.

 

 

 

São Luís Gonzaga do Maranhão, 01 de setembro de 2020

 

Vilmar Locatelli

 

 

 

 

 

 

 

Compartilhar nas redes sociais:
Terça, 25 Agosto 2020 11:39

Solidão

SOLIDÃO

 

 Sem esperar você chegou

Sem avisar você partiu

Nem deixou ficar o sorriso

Nem esqueceu um olhar

Só conhecer foi preciso

 

Ainda faz parte dos sonhos

Ainda resume meus dias

Com o perfume das brisas

Com o barulho das ondas

Você chega indecisa

 

Tropeça na existência

Se ilude pela aparência

Enxerga a vida de dentro

Destrói o delicado equilíbrio

Construído na inocência

 

Infame saudade que assola

Ingrata suavidade que isola

Imperfeito sentimento de si

Raízes cortadas no chão

Vida que se faz solidão.

 

 

Bacabal-MA, 25 de agosto de 2020

Vilmar Locatelli

 

Compartilhar nas redes sociais:
Quarta, 15 Julho 2020 16:51

Sopro de vida

Sopro de vida

 

Ainda sinto o beijo da brisa

Que acaricia a pele

Desperta o tato

Alivia o calor

 

Faz a porta bater

Sacode o verde

Sem cheiro e sem cor

Respiro suave

 

Faz a festa chegar

Sustenta as asas

Sublime assovia

Faz meu peito pulsar

 

Não me deixe ficar

Me leve contigo

Palavra criadora

Vida a soprar.

 

Vilmar Locatelli

Bacabal, 6 de julho de 2020.

 

 

Compartilhar nas redes sociais:
Sexta, 03 Julho 2020 10:21

HOJE VOLTO

HOJE VOLTO

 

Hoje acordei com a vontade de viver

Ver as luzes que irradiam do olhar

Sentir a brisa das palavras

Provar do sabor dos beijos

 

Hoje espero o encontro

Hoje aguardo o abraço

Hoje escuto teu canto

Hoje acontece o sonho

 

Não posso esperar o amanhã

Vou correndo pelos sentimentos

Vou chorando de arrependimento

Vou colhendo flores

Vou curando as dores

 

Volto embalado no sentir

Volto sonhando em chegar

Volto insistindo em ficar

Volto hoje...

 

 

Vilmar Locatelli

Bacabal, 03 de junho de 2020

 

Compartilhar nas redes sociais:
Segunda, 08 Junho 2020 10:56

Como comemorar o dia do meio ambiente

Como comemorar o Dia do meio ambiente?

 

Em uma das suas sapientes manifestações o Papa Francisco nos faz uma importante admoestação com estas palavras: “Nós, seres humanos, não somos meros beneficiários das demais criaturas, mas sim guardiões delas.” Verdade, mas infelizmente, tem muita gente que não se vê como guardião da natureza que gratuitamente recebemos das mãos do Criador.

Nossa Constituição Federal de 1988, informa os direitos de todos os brasileiros ao meio ambiente no seu artigo 225, desse modo: Todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial à sadia qualidade de vida, impondo-se ao Poder Público e à coletividade o dever de defendê-lo e preservá-lo para as presentes e futuras gerações.  Mostrando que apesar ser um direito de todos é dever não só do Estado, mas de todos nós defendê-lo e preservá-lo não só para geração atual, mas também para as futuras gerações.

Frei Beto em um artigo publicado recentemente, falando sobre o meio ambiente em nosso país faz uma alusão as grandes manifestações que estão acontecendo nos Estados Unidos contra o racismo onde uma das palavras de ordem é: “não consigo respirar” se referindo ao segurança Floyd que foi assassinado por policiais brancos no Estado de Minesota enquanto dizia estas últimas palavras: NÃO CONSIGO RESPIRAR, pois tinha o joelho do policial lhe sufocando o pescoço  contra o asfalto. Frei Beto diz “não consigo respirar nesse país desgovernado”.

O que mais falta acontecer? O  Ministro do Meio Ambiente em plena reunião de Ministros se mostra ávido em realizar as mudanças na legislação ambiental em meio a pandemia, para não ter a mídia criticando já que está voltada para a cobertura da expansão exponencial dos casos de COVID-19 em nosso país desigual, despreparado e sem comando, dizendo: “vamos aproveitar para passar a boiada”. Onde já se viu um ministro do meio ambiente que tem o dever de ser o maior guardião dos bens ambientais em nosso país, se manifestar desse modo?

A situação é crítica! Não se trata de ser de esquerda, de direita ou de centro. Se trata de SER HUMANO, da responsabilidade de ser guardião da natureza com todas as suas criaturas, como nos fala o Papa Francisco.

Como comemorar o dia do Meio ambiente? Me responde aí...

 

 

 Dr. Vilmar Locatelli, advogado

Bacabal, 05 de junho de 20.

 

Compartilhar nas redes sociais:
Quinta, 21 Mai 2020 12:13

Você voltou

VOCÊ VOLTOU

 

Na ânsia da tua espera

Deixei fluir o limiar desatino

Em que inerte me deixou.

Quase a cair sem ter alicerce

Adormeci sem sonhos.

 

Ensaiei um monólogo com minhas dores

Discursei sobre a infeliz angústia

Publiquei em vão um pensamento

Escrito com as cores do silêncio

 

Juntei nossas folhas de outono

Enquanto vi fenecer a primavera

Semeei lágrimas no verão

E te esperei no inverno

E como te esperei...

 

Finalmente você chegaria

Seria ainda a mesma?

Será que eu era outro?

 

Juntaremos nossos pedaços

De mãos dadas no caminho

Delicadamente em cada gesto

Em cada toque

Em cada beijo

Em cada abraço.

 

Então reacenderemos

O brilho nos olhos

O conforto na alma

E a paz no coração.

 

Pois finalmente,

Você voltou.

 

 

 

Vilmar Locatelli- Advogado e poeta

Compartilhar nas redes sociais:
Quinta, 07 Mai 2020 10:26

A VIDA COMO ELA É

A VIDA COMO ELA É

 

Mentira!!!

Verdade!!!

Há que jurar mentindo

Há que sonhar afirmando

 

Estranhas vozes apontando o caminho

Beijos silenciosos escondendo a verdade

Ilusão se fingindo de realidade

Solidão se aquecendo no frio.

 

Dimensões de cores que só eu vejo

Sensações que esqueço existirem

Liberdade edificada com sangue

Cortejo fúnebre do inocente sentir

Intenções reveladas ao acaso.

 

Atraso inquieto e sem tempo

Invento outra razão para amar

Volto a viver deslumbrado

Por saber que existo insistente

E demente enfim canto ao lembrar

Que a vida é dor

Prazer e paixão.

 

 Vilmar Locatelli- Poeta e advogado

Compartilhar nas redes sociais:

O que é a JUSTIÇA segundo a Doutrina Social da Igreja-(DSI)?

 

A definição de Justiça em geral, como conhecemos e discutimos hoje está restrita ao direito legal, com ênfase inclusive nos direitos individuais, com forte influência Aristotélica e da Teologia de São Tomás de Aquino. Por isso é preciso resgatar a tradição Judaico-cristã, na qual a justiça se baseia no direito daquele que não tem nada.

Para a sagrada escritura no Antigo testamento a palavra MISHPAT- designava a Ordem justa da sociedade em sentido objetivo, o que nem sempre era respeitado por isso a palavra sempre aparece acompanhada da palavra (sdáquâ) que significa justiça, sendo deste modo a obrigação moral do direito em sentido objetivo. Só sendo possível que exista o Direito onde houver a justiça.

A justiça obriga moralmente a se preocupar com os mais pobres dentre o povo: lembrando aí da tríade, muito repetida nas sagradas escrituras: A viúva, o órfão e estrangeiro. Deus, Javé, é aquele que viu a miséria do seu povo, ouviu o seu clamor e desceu para libertá-lo. Ex 3, 7-8. Dt 26,5-9.

Justiça não é só dar ao outro o que lhe pertence, mas também é dar, repartir com quem nada tem. Duas vertentes e duas verdades na DSI- Justiça e Caridade. Uma não vive sem a outra. A caridade não pode substituir a Justiça, acobertando a injustiça e a Justiça sem a caridade não suficiente.

A justiça não consiste somente na obrigação moral de dar ao outro o que lhe pertence, mas também dar algo a quem nada possui, socorrer as necessidades do estrangeiro, da viúva e do órfão. É a partir dessa compreensão que são feitas advertências muito sérias às lideranças do povo. (Am. 5,24; Is. 1,17; Jr. 22,3.)

A mensagem de Jesus seguiu na mesma linha. Mt. 25, 31ss. Jesus se põe ao lado dos excluídos da sociedade, coloca a riqueza e o acúmulo de bens, como o grande responsável por sufocar a mensagem do evangelho. A grande rival de Deus. Mt. 6, 24; 13,22. A diferença da mensagem de Jesus é que ela não só denunciava, mas também anunciava algo novo. A boa notícia aos pobres.

Jesus torna a Boa Notícia presente em seus gestos, atitudes e opções. Nas curas, na distribuição do pão, na acolhida dos marginalizados. O Reino de Deus é Gratuidade absoluta, oferecido a todos. Mas preferencialmente aos mais pobres que acolhem essa mensagem.

Buscar em primeiro lugar o Reino e a sua justiça, virou imperativo de primeira ordem para os discípulos. MT, 6,33. Não se pode amar verdadeiramente a Deus quem não vê a necessidade do outro. 1 Jo. 5,20- Pois a fé sem as obras de justiça para com os necessitados é morta em si mesma. Tg. 2,14-18

Essa tradição bíblica-cristão continuou na Igreja com a Patrística, isto é, os padres da Igreja que refletiram e estudaram os temas mais importantes, para o cristianismo deixando um legado de grande proporção. Acentuam o direito dos pobres e entendem a justiça como algo que lhes é devido, condenam o lucro fácil que é tido como “usura” uma verdadeira praga social. Pregam a justiça social, baseados na “destinação universal dos bens da criação.”

Santo Ambrósio, dizia:

“Por que rejeitais a quem participa da vossa natureza e reivindicais a posse dessa mesma natureza? A terra foi feita para todos em comum, ricos e pobres. [...} Porque o Senhor Deus quis que essa terra fosse propriedade comum de todos os homens e a todos oferecesse seus produtos, mas a avareza repartiu os direitos de posse”.

O paradigma, o entendimento bíblico e Patristico, de Justiça foi rompido com São Tomás de Aquino, quando baseado nas ideias gregas de Aristóteles, tomou a justiça como uma simples virtude.

Entre o Direito do Pobre e o Direito à propriedade, valorizou a a segunda opção em sua famosa Summa Teológica. O direito do Pobre foi praticamente esquecido depois disso. Só vindo a ser retomada a partir de 1950, com a Nova Teologia que buscava um retorno as fontes.

Com o aparecimento da Teologia da Libertação na América Latina, esse conceito de Justiça, como direito dos pobres e oprimidos foi devidamente retomado e valorizado. A busca pela justiça tem um sentido estrutural, isto é, a construção de novas estruturas sociais conforme as exigências éticas do reino de Deus. Isto foi afirmado na conferência de Medellin, a partir da constatação de que a injustiça era algo institucionalizado.

O Sínodo dos Bispos de 1971 chegou a afirmar o seguinte:

“A Ação pela justiça e a participação na transformação do mundo aparecem-nos claramente como uma dimensão constitutiva da pregação do evangelho, que o mesmo é dizer, da missão da Igreja, em prol da redenção e da libertação do gênero humano de todas as situações opressivas.” (Sínodo dos Bispos 6) 

A  Ação em favor da justiça não é somente ética, mas, a luz da fé, torna-se locus theologicus, ( lugar de vivência) pois contribui para o crescimento do Reino de Deus, presente, desde já na história humana: reina do verdade e de vida, reino de santidade e de graça, reino de justiça, de amor e de paz.

A Justiça social, exigência conexa com a questão social, que hoje se manifesta em uma dimensão mundial, diz respeito aos aspectos sociais, políticos e econômicos e, sobretudo à dimensão estrutural dos problemas e das respectivas soluções” (Compêndio de Doutrina Social da Igreja 201).

 

Vilmar Locatelli- Advogado, mestre e teólogo

 

Compartilhar nas redes sociais:
Quarta, 29 Abril 2020 11:06

TODAS AS VIDAS

TODAS AS VIDAS

 

Onde encontrar

Todas as vidas desses humanos?

No olhar perdido em meio a dor?

Na busca por um lugar ao sol?

Na espera por um amanhã melhor?

No conforto da fé?

 

Qualquer pão alimenta

O coração continua a bater

O sol da assepsia faz crescer

Um sentimento arrepia

O verde insiste em brotar

Volta a respirar

 

Ainda tem chão para regar

O conhecimento é precário

Inovações não salvam o necessário

Tem mortes por fome

Tem mortes por nome

Milhões sem teto

Milhões sem terra

 

Resiliência

Ciência e compaixão

Indicam o novo começo

Se não houver tropeço no EU

Em nova e humana lição:

“Ser mais irmãos”

Para valorizar todas as vidas

Que se perderam em vão.

 

Vilmar Locatelli

Bacabal, 29 de abril de 2020

(Pandemia do COVID-19)

Compartilhar nas redes sociais:
Sábado, 25 Abril 2020 15:12

A FRAUDE DO MORO

A FRAUDE DO MORO

 

Até onde chegamos neste país?

O ex-ministro da justiça, responsável direto pela eleição de Bolsonaro. Sim, responsável direto, já que tirou do páreo o principal concorrente que estava à frente das pesquisas eleitorais o Sr. Luís Inácio Lula da Silva, e agora, deixa o governo acusando seu pupilo-presidente de atitudes nada republicanas e assumindo ter cometido crime.

Em coletiva de imprensa de convocou para anunciar sua saída do governo, chegou a dizer: “a única condição, que coloquei e que revelo agora, foi que como abandonei a minha carreira de 22 anos de magistratura e de contribuição, pedi que se algo me acontecesse que minha família não ficasse desamparada e sem pensão. Foi a única condição que coloquei para assumir a condição no ministério.”   

Vejamos o que diz o Caput do artigo 317 do código penal Brasileiro:

 Solicitar para si ou para outrem, direta ou indiretamente, ainda que fora da função ou antes de assumi-la, mas em razão dela, vantagem indevida, ou aceitar promessa de tal vantagem. Pena- reclusão, de 2 (dois) a 12 (doze) anos e multa.

Trata-se do crime de corrupção passiva.  O mesmo artigo do código penal que ele usou enquanto juiz para condenar mesmo sem provas concretas como essas que ele hoje mesmo faz contra si de corrupção passiva.

A situação da sua parcialidade até hoje é questionada nas diversas instâncias judiciais e até mesmo nos tribunais internacionais de Direitos Humanos no caso Lula, ficando plenamente configurada quando ele assume a posição de Ministro da Justiça do atual governo, deixando qualquer tipo de dúvidas quanto a sua parcialidade totalmente dissipada.

Mesmo assim, sua figura para os que engolem tudo o que a Globo diz sem questionar, ficou como se fosse do bom moço, o baluarte da anticorrupção e justiceiro. Como acontece quase sempre nas figuras da extrema direita que assumem o poder no mundo derrotando as alas mais a esquerda, sempre com esse mesmo discurso, anticorrupção.

 Muito bem, eu também jamais iria apoiar alguém que tivesse de fato promovendo a corrupção ou se deixando corromper. Então muitos  os brasileiros de bem foram envolvidos com esse discurso e sua repercussão nos meios de comunicação, que por sua vez, que queriam ver o Brasil deixando de lado os trabalhadores e cuidando de drenar o dinheiro publico para o grande capital como de fato aconteceu na reforma trabalhista, reforma da previdência e diversas outras mudanças ainda em curso, seguiram Moro e seu governo agora se sentem profundamente enganados e desconcertados.

O discurso de bom moço, e apoio de Moro, levou a muitas pessoas adotarem o governo Bolsonaro como uma resposta à corrupção, como se fosse a única causa dos problemas brasileiros. Eis que agora explicitamente se revela uma fraude...

O que vamos fazer diante de tudo isso?

 

Dr. Vilmar Locatelli

Advogado

Compartilhar nas redes sociais:
Página 1 de 2

Telefone

99 3621-6216 99 99107-5401 99 98117-0791

E-mail

contato@cuxa.com.br