Maranhão chega a 284.301 casos e 7.896 óbitos por Covid-19

Maranhão chega a 284.301 casos e 7.896 óbitos por Covid-19

Dados foram atualizados na noite deste domingo (23) pela Secretaria de Estado da Saúde (SES). Nas últimas 24 horas, foram registrados 159 casos e 20 mortes pela doença.

O Maranhão chegou a 284.301 casos confirmados e 7.896 óbitos por Covid-19 neste domingo (23), segundo a Secretaria de Estado de Saúde (SES). Nas últimas 24 horas, foram registrados 159 casos e 20 mortes pela doença.

Dos novos registros, 24 foram na Grande Ilha (São LuísSão José de RibamarPaço do Lumiar e Raposa), 7em Imperatriz e 128 nos demais municípios do estado.

Os casos ativos, ou seja, pessoas que estão atualmente com a Covid-19chegou a 24.624. Desses, 23.280 estão em isolamento domiciliar, 808 internados em enfermarias e 536 em leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

Detalhes das mortes

 

As 20 novas mortes provocadas pela Covid-19 foram registradas nas cidades de Chapadinha (1), Gonçalves Dias (1), Vila Nova dos Martírios (1), Zé Doca (1), Imperatriz (3), Timon (5) e São Luís (8)

Quatro óbitos foram registrados nas últimas 24 horas. Os demais foram registrados em dias e/ou semanas anteriores, e aguardam resultado do exame laboratorial para Covid-19.

Quanto aos profissionais da saúde, 4.502 já foram infectados pela Covid-19, 4.317 se recuperaram da doença e 80 morreram.

Ao todo, a Secretaria de Saúde diz que já foram realizados 679.884 testes (rede privada + pública) para a Covid-19, sendo que 486.247 casos foram descartados. O número de casos suspeitos é de 4.147.

 

 

Faixa etária dos pacientes

 

 

  • 0 a 9 anos - 8.903 casos
  • 10 a 19 Anos - 20.685 casos
  • 20 a 29 Anos - 44.933 casos
  • 30 a 39 Anos - 59.309 casos
  • 40 a 49 Anos - 48.791 casos
  • 50 a 59 Anos - 35.877 casos
  • 60 a 70 Anos - 26.909 casos
  • Mais de 70 - 24.598 casos
  • Não informado - 14.296 casos

 

Percentual de casos por sexo

 

  • Masculino - 44%
  • Feminino - 56%

 

Taxa de ocupação de leitos de UTI

 

Leitos de UTI para a Covid-19 na Grande São Luís

 

  • Total de leitos de UTI - 261
  • Leitos ocupados de UTI - 252
  • % de ocupação das UTIs - 96,55%

 

Leitos clínicos para a Covid-19 na Grande São Luís

 

  • Total de leitos - 532
  • Leitos ocupados - 440
  • Porcentagem de ocupação - 82,71%

 

Leitos de UTI para a Covid-19 em Imperatriz

 

  • Total de leitos - 72
  • Leitos ocupados - 45
  • Porcentagem de ocupação - 62,50%

 

Leitos clínicos para a Covid-19 em Imperatriz

 

  • Total de leitos - 194
  • Leitos ocupados - 69
  • Porcentagem de ocupação - 35,57%

 

Leitos de UTI para a Covid-19 nas demais regiões

 

  • Total de leitos - 243
  • Leitos ocupados - 143
  • Porcentagem de ocupação - 58,85%

 

 

Leitos clínicos para a Covid-19 nas demais regiões

 

  • Total de leitos - 548
  • Leitos ocupados - 186
  • Porcentagem de ocupação - 33,94%

 

 

Nova cepa no Maranhão

 

O Maranhão confirmou, no dia 26 de fevereiro, o primeiro caso da variante brasileira P.1 da Covid-19, originalmente identificada no Amazonas. A informação foi confirmada pela Secretaria de Estado da Saúde (SES).

 

Curados da Covid-19

 Graciliano tem 68 anos passou dois meses internado, mas teve alta da Covid-19 — Foto: Divulgação/SES

Graciliano tem 68 anos passou dois meses internado, mas teve alta da Covid-19 — Foto: Divulgação/SES

Após passar dois meses internado com a Covid-19, o idoso Graciliano Pereira dos Santos recebeu uma grande festa por se recuperar da doença e receber alta no Hospital Dr. Genésio Rêgo, em São Luís.

A comemoração contou com a participação de familiares e da equipe médica do hospital. Aos 68 anos, Graciliano é aposentado e ficou conhecido pelo seu carisma com todos os profissionais de saúde.Aos 101 anos, Regina Coelho Guiné venceu a Covid-19 no Maranhão. — Foto: Julyane Galvão/Secretaria de Saúde do Maranhão (SES)

Aos 101 anos, Regina Coelho Guiné venceu a Covid-19 no Maranhão. — Foto: Julyane Galvão/Secretaria de Saúde do Maranhão (SES)

 

Aos 101 anos, a idosa Regina Coelho Guiné foi mais uma maranhense que venceu a Covid-19 em São Luís. Os sinais iniciais de infecção pela doença como febre e indisposição, foram percebidos por um dos filhos da idosa.

Dona Regina passou por um exame de testagem onde foi comprovado o diagnóstico. Após o tratamento, a resposta imunológica foi surpreendente e chamou a atenção dos médicos e familiares da idosa, já que ela estava em recuperação de uma cirurgia no fêmur.Luzia Angelita tem 73 anos e agradeceu os profissionais de saúde após receber alta da Covid-19 — Foto: Divulgação/HUUFMA

Luzia Angelita tem 73 anos e agradeceu os profissionais de saúde após receber alta da Covid-19 — Foto: Divulgação/HUUFMA

Luzia Angelita Costa Almeida, de 73 anos, recebeu alta da Covid-19 e reencontrou a família após 90 dias internada no Hospital Universitário da UFMA, em São Luís.

A paciente foi a segunda pessoa com Covid-19 a dar entrada no hospital e também era a que estava a mais tempo internada. Segundo o HUUFMA, o tratamento da idosa exigiu diversos esforços da equipe de saúde, além da força e superação da paciente para vencer as dificuldades.Flávia recebe abraço após receber alta da Covid-19 no Hospital Universitário, em São Luís — Foto: Divulgação/HUUFMA

Flávia recebe abraço após receber alta da Covid-19 no Hospital Universitário, em São Luís — Foto: Divulgação/HUUFMA

 

Flávia Cristina Abreu de Almeida, de 49 anos, recebeu alta com grande festa no Hospital Universitário, em São Luís. Ela ficou 34 dias internada com a Covid-19 e saiu chorando e agradecendo os profissionais de saúde.

A maranhense foi a última pessoa internada em uma das duas Unidades de Terapia Intensiva (UTI) que o HUUFMA mantinha apenas para pacientes com Covid-19, e que foi desativada.Após quase dois meses internada, paciente de 61 anos vence o coronavírus no Maranhão — Foto: Divulgação

Após quase dois meses internada, paciente de 61 anos vence o coronavírus no Maranhão — Foto: Divulgação

Após ficar internada durante um mês e 22 dias, a paciente Celma Rodrigues, de 61 anos, ganhou uma nova vida depois de receber alta do Hospital Dr. Genésio Rêgo.

Quando ela deu entrada no hospital, seus pulmões estavam com 92% de comprometimento. Ao todo, foram 31 dias internada em um leito de UTI e outros 21 dias na enfermaria até vencer a Covid-19.

 

Cuidados

 

Para evitar a proliferação do vírus, o Ministério da Saúde recomenda medidas básicas de higiene, como lavar as mãos com água e sabão, utilizar lenço descartável para higiene nasal, cobrir o nariz e a boca com um lenço de papel quando espirrar ou tossir e jogá-lo no lixo. Evitar tocar olhos, nariz e boca sem que as mãos estejam limpas.